29 de abril. Um dia para nunca esquecer

Há exatos três anos o Paraná vivia um dos mais violentos e sangrentos dias de sua história. O 29 de abril de 2.015 passou para a história como a “Batalha do Centro Cívico”.
Naquele dia, servidores públicos estaduais reivindicavam seus direitos, tentando impedir a votação, Na Assembleia Legislativa, da proposta do governo de reestruturação do Paranaprevidência, responsável pelo pagamento das aposentadorias dos servidores do Estado.
Para os servidores, a proposta era inconstitucional e tinha como único objetivo desviar verbas da previdência dos servidores públicos estaduais para o caixa do governo, tornando posteriormente inviável esse já combalido fundo previdenciário.
O governo, comandado por Beto Richa, reagiu à manifestação e, insensível, não impediu que a força policial investisse contra os servidores, que tentavam entrar no Palácio 19 de Dezembro para impedir a votação.
Foi aí que começou o confronto. Bombas de efeito moral, balas de borracha, cavalos. O salvo foi trágico, mais de 200 servidores feridos, muitos deles com gravidade.
Para reprimir os servidores, o governo gastou R$ 1 milhão, segundo levantamento feito pelo Ministério Público.
O 29 de abril é uma data que nunca será esquecida, assim como não é o 28 de agosto de 1988, quando no governo Alvaro Dias, os servidores também foram reprimidos por um forte esquema de segurança.
O Paraná não pode, nunca mais, viver momentos violentos como ocorreram há três anos. O Paraná precisa de um governo democrático, que dialogue com os servidores e não apresentem propostas que tiram direitos dos servidores e do povo paranaense.
O Paraná – assim como os servidores – quer paz.

Deputado Anibelli Netto (MDB), líder da bancada de Oposição na Assembleia Legislativa

Entre em Contato

Preencha as informações abaixo, retornarei o mais breve possível.

Not readable? Change text. captcha txt