Anibelli Neto | Deputado Estadual – Anibelli Neto participou da Audiência Pública para avaliar possíveis impactos da proposta de privatização do setor energético.

Anibelli Neto participou da Audiência Pública para avaliar possíveis impactos da proposta de privatização do setor energético.

A possibilidade de venda de ativos da Eletrobrás – Centrais Elétricas Brasileiras, por parte do governo federal, motivou a audiência pública “Privatização do Setor Energético: soberania ou dependência”, no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná, nesta terça-feira (10). Diversos sindicatos, entidades representativas, associações e integrantes do movimento contra as privatizações estiveram presentes na reunião, que teve como proponentes o  deputado Anibelli Neto (PMDB) Líder do Bloco da Agricultura Familiar conjuntamente com outros deputados.

Segundo dados apresentados por um dos coordenadores do Fórum Popular Conta a Privatização da Eletrobras, o ex-deputado federal Nelton Friedrich, o valor de mercado da companhia é de R$ 200 bilhões, sendo que ela representa 30% da geração de eletricidade no país. Frontalmente contrário à privatização, o dirigente ressalta que a função da empresa vai muito além da geração e distribuição e energia. “Energia é o sangue que move a economia. Falam em vender a Eletrobrás por um valor muito inferior do que ela vale, perto de R$ 20 bilhões. Está em jogo um setor estratégico nacional, pois há outros programas desenvolvimentistas que envolvem a companhia e são fundamentais para o Brasil”.
O ex-governador e atual vice-presidente da Associação Comercial do Paraná, Mário Pereira, ressaltou o papel das empresas de energia para os Estados e tudo que representam no âmbito nacional. “Aqui temos a nossa Copel, empresa forte, importantíssima e da qual temos orgulho. E a Copel é um patrimônio estratégico do Paraná, que vai além da produção de energia. Temos que ter clareza também sobre concessões e privatizações. Porque uma concessão é como um aluguel, mas o domínio é público. Já na privatização, o Estado deixa de ter o domínio da empresa. É fundamental que possamos preservar o nosso patrimônio. Portanto, devemos olhar com muita cautela essa questão da Eletrobras”.
Durante a audiência, vários pronunciamentos apontaram o discurso oficial de precarização das empresas por parte dos governos e da necessidade de se venderem ativos para reforço de caixa e pagamento da dívida pública. O coordenador do Fórum Popular Contra a Privatização do Setor Elétrico, Ivo Augusto de Abreu Pugnaloni, afirmou que o Brasil já viveu a experiência de desestatização das energéticas. “Precarizam as empresas sob o argumento de que a privatização é o melhor caminho, criam uma história de que vendida ela será melhor gerenciada, que haverá benefícios para a população. Isso a gente sabe que não acontece, porque já vivenciamos esta situação e foi uma tragédia, inclusive com diversos apagões de energia no país”.

Anibelli Neto
O deputado Anibelli colocou-se contra todas as possíveis privatizações do setor energético do País, afirmando que as empresas públicas são importantes e estratégicas para o desenvolvimento, principalmente no apoio aos mais humildes para pagar uma conta justa,  como também aos pequenos empresários e trabalhadores rurais da Agricultura Familiar, que precisam de uma energia elétrica mais barata para competir com os grandes, assim  foi no Governo do PMDB no Paraná com o programa Luz Fraterna onde beneficiou milhares de famílias,  lembrou que isso só foi possível por que a Copel é uma empresa pública e deve continuar assim no seu ponto de vista. Destacou que em momentos de crise como passa o País as empresas públicas devem servir a população e não aumentar as tarifas de água e de luz por exemplo, e ter como objetivo garantir os empregos existentes e promover o lucro social e não o lucro financeiro dos investidores, por este motivo tem mantido a posição firme  a favor da população mais carente do Paraná votado contra os aumentos de tarifas e impostos propostos pelo Governo do Estado.

Entre em Contato

Preencha as informações abaixo, retornarei o mais breve possível.

Not readable? Change text. captcha txt