Parabéns à População de Campo Mourão

História de Campo Mourão

A história da cidade nos reporta ao início do século XVI, quando jesuítas espanhóis e bandeirantes paulistas cruzaram os Caminhos de Peabiru, alcançando a região dos “campos” bordejados pelas matas Atlântica e das Araucárias. Vasculhado por milícias do governo da capitania de São Paulo, o vale descampado entre os rios Ivaí e Piquiri foi denominado “Campos do Mourão”, em homenagem ao governador da capitania de São Paulo, Dom Luís António de Sousa Botelho e Mourão.

Anos mais tarde, o pasto natural e o cerrado nativo da região serviam de ponto de descanso para tropeiros. Os primeiros pioneiros começaram a chegar no início do século XIX, entre eles José Luiz Pereira, as famílias Teodoro, Custódio, Oliveira, Mendonça, Mendes, Guilherme de Paula Xavier, João Bento, Norberto Marcondes e Jorge Walter.

Até 1943, Campo do Mourão pertencia ao município de Guarapuava. A partir desse ano passou a ser distrito de Pitanga. E no dia 10 de outubro de 1947 foi emancipado política e economicamente pela Lei 02/47, sancionada pelo governador Moysés Lupion. O primeiro prefeito da cidade foi José Antônio dos Santos, nomeado em 18 de outubro de 1947. Depois, Pedro Viriato de Sousa Filho, foi o primeiro prefeito eleito.

Até a década de 60 o município de Campo Mourão compreendia toda a Microrregião 12 e os municípios que hoje a integram eram seus distritos administrativos. Na década de 80, foram desmembrados dois dos seus últimos distritos administrativos: Luiziana e Farol do Oeste, ficando sobre sua tutela apenas o distrito de Piquirivaí.

A cidade tem suas origens em antigas estradas onde se passavam circos e lojas voadoras vindo de Mato Grosso e São Paulo com destino ao oeste do Paraná. A partir de então começou a receber migrantes gaúchos e catarinenses que vinham atraídos pela fertilidade da terra roxa e por problemas políticos na região, formando assim a base da sociedade mourãoense.

A Cidade

Município de muitas potencialidades, Campo Mourão é conhecida nacionalmente como a Terra do Carneiro no Buraco. Com mais de 90 mil habitantes, Campo Mourão é a 21ª entre as 50 cidades mais populosas do Paraná. Distante 450 quilômetros de Curitiba (capital do Paraná), Campo Mourão é a cidade-polo da Microrregião 12, que agrega 25 municípios, somando uma população regional de aproximadamente 357 mil habitantes.

A excelente localização do município, no Centro-Oeste paranaense, coloca-o nas rotas de integração para os principais centros urbanos do país e do Mercosul.

Predominantemente agrícola, tem no plantio de soja e milho seus principais produtos. O agronegócio fortalece a economia empregando difundindo moderna tecnologia a partir de duas cooperativas agrícolas de projeção nacional, e de uma unidade da maior processadora de carnes do mundo. A transformação de grãos e a produção frigorífica de carne de frango são importantes fatores geradores de emprego e renda, colaborando para consolidar a cidade como Polo Brasileiro de Alimentos.

Também se destacam no cenário produtivo, empresas do segmento industrial, abrangendo as áreas de alimentos, adesivos, eletrônica e têxtil, entre outras, bem como um Arranjo Produtivo de Produtos Médico-Hospitalares.

Essa dinâmica econômica tem melhorado os índices do município que é um dos primeiros do interior do Paraná na geração de empregos. Ainda se vê se elevar substancialmente a arrecadação de tributos como ICMS, ISSQN, o número de novas empresas instaladas e o desenvolvimento da construção civil com iniciativas que valorizam o ramo imobiliário.

O comércio e a prestação de serviços são diversificados. E diante de um grande volume de negócios envolvendo os dois setores, Campo Mourão está posicionado entre os 243 principais municípios do mapa de consumo do País e como a 17º cidade do Paraná com potencial de mercado. Condição que tem gerado um alto índice de desenvolvimento urbano, fruto de um projeto de melhoria da qualidade de vida da população por meio da geração de emprego e renda.

Entre os mais desenvolvidos do Paraná, o município de Campo Mourão foi apontado no ranking da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), com dados de 2009, como a 4ª cidade do interior mais desenvolvida em educação, saúde, emprego e renda. Ainda de acordo com o órgão, Campo Mourão também ocupa o 1º lugar entre as cidades paranaenses com menos de 200 mil habitantes e o 64º lugar em desenvolvimento no Brasil, apresentando um avanço de 2,4%, comparando com os números do ano anterior. Conquista que credencia a cidade a ser referência estadual e nacional. Lugar, onde os 90 mil habitantes desfrutam de excelente qualidade de vida, ilustrada por grandes áreas verdes, bons serviços de saúde e saneamento básico, educação em todos os níveis e iniciativas culturais que estão entre as melhores do país.

A expansão que a cidade vem alcançando pode ser medida pelos números de dezembro/2011 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). De acordo com o levantamento, Campo Mourão registrou a 2ª melhor colocação, na geração de empregos, entre os municípios paranaenses. Ao longo de 2011, o município teve um saldo positivo de mais de 1.400 pessoas contratadas e que permaneceram nos seus empregos.

O município de Campo Mourão também está na lista das cidades com as melhores economias do Paraná, segundo dados segundo dados de 2009 divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento do Produto Interno Bruto (PIB) dos 5,5 mil municípios brasileiros, aponta que Campo Mourão ocupa o 15º lugar no ranking Estado, com R$ 1,7 bilhão, o que representa 0,9% do PIB paranaense. Na região compreendida por 25 municípios da Comcam, apenas quatro cidades aparecem entre na lista dos 100 maiores PIB’s do Paraná. E, regionalmente, Campo Mourão ocupa a primeira colocação do ranking.

O potencial energético é substancial, com três usinas hidrelétricas: a Mourão 1, a Salto Natal e a Cristo Rei, nos rios Mourão e Ranchinho, com capacidade para gerar 26 mW de energia.

Na área da educação Campo Mourão conta com uma ampla rede voltada para a formação básica e a educação profissionalizante. Quatro instituições de ensino superior oferecem 25 cursos de graduação, especialização e pós-graduação. É possível verificar, também, o crescimento alcançado pelo município, nos últimos anos, na atenção dada à rede básica de ensino. Um exemplo, foi o troféu “Gestor Nota 10″ – Educando 2010, conquistado pela cidade, apontando Campo Mourão como uma das 100 melhores em gestão educacional no país. Também foi premiada pelo projeto Televisando o Futuro, da RPCTV; Prêmio Agrinho, em várias categorias; e recebeu a Medalha Imperador Dom Pedro II – Mérito Educacional, por aplicar mais de 25% do orçamento geral em investimentos na área.

Campo Mourão também é referência estadual em cultura pela excelente estrutura física e técnica, voltadas para uma diversidade de manifestações, o que lhe rendeu o titulo de Melhor gestão Cultural do Paraná, e do Brasil (para cidade de até 100 mil habitantes).  Destacam-se o Teatro Municipal e a intensa produção com festivais de teatro e eventos como o Auto da Paixão de Cristo e o Ritual do Fogo, durante a Festa Nacional do Carneiro no Buraco. O município é, ainda, um dos poucos do Brasil que tem uma Lei Municipal de Incentivo a Cultura.

Na área da ação social, a cidade também é reconhecida com prêmios internacionais por manter uma ampla rede de serviços que minimiza as diferenças sócio-econômicas, ampliando a expectativa e a qualidade de vida dos moradores de baixa renda, e em situação de risco social, priorizando a valorização das pessoas e a busca continua da cidadania. O município recebeu o prêmio Integración Latino Americano 2009, promovido pela Câmara Internacional de Pesquisas e Integração Social (CIPIS).

Também é destaque, entre as qualidades dos mourãoenses, a vocação esportiva. O município atende equipes de todos os portes e ainda incentiva a formação básica com implementos para todos públicos. O esporte de Campo Mourão também ocupa lugar de destaque no cenário estadual. Pelos resultados conquistados na edição 2011 dos Jogos Abertos do Paraná (JAP’s), o município alcançou o posto de 3ª potência do esporte no Estado. A vocação esportiva em Campo Mourão tem início com incentivo à prática de atividades físicas para todas as idades, e segue projetando atletas e equipes na conquista de títulos.

Outra referencia regional está na área de saúde com hospitais privados e beneficentes como a Santa Casa, o Consórcio Intermunicipal de Saúde, uma UTI Regional Móvel e ampla rede de prestadores de serviços que primam por empregar as mais recentes tecnologias em seus diagnósticos. O município conta, ainda, com unidades básicas instaladas nos bairros da cidade e um posto de saúde que funciona 24 horas, para atender urgências e emergências. Dezenas de programas nas áreas médico e odontológicas são mantidos pela administração municipal para atendimento à comunidade, valorizando a vida do cidadão.

 

A Origem do Nome “Campo Mourão”

“A origem do nome “Campo Mourão” – Segundo o livro “Campo Mourão Centro do Progresso”, do escritor Pedro da Veiga ” Em fins de 1769 e começo de 1770, pela expedição iniciada sob o comando do Capitão Estevão Ribeiro Bayão, de São José dos Pinhais, e completada pelo Capitão curitibano, Francisco Lopes da Silva, ambos sob o comando geral do Coronel Afonso Botelho de Sampaio e Souza (primo do Morgado de Mateus), após percorrer o rio Ivaí em toda sua extensão, reconheceu os campos que foram denominados Campos do Mourão, mais tarde simplificado para Campo Mourão, em homenagem ao Governador da Província de São Paulo, no período de 1765/1775, a qual se subordinava o Paraná, então sua quarta (e depois quinta) Comarca, Capitão-General DOM LUÍS ANTÓNIO DE SOUSA BOTELHO E MOURÃO (IV MORGADO DE MATEUS)”.

 

O Município de Campo Mourão (mais eufônico e tradicional seria Campos do Mourão) foi instalado a 17 de outubro de 1947, e, com o de Castro, perpetua dois nomes da genealogia portuguesa. Os foros da nobreza que ressurtem do nome MOURÃO estão, inclusive, ostentados no brasão de armas de Campo Mourão, brasonado com fundamento no próprio brasão de armas dos Mourões, de Portugal. Indiretamente, também o nome BOTELHO se configura nas armas mourãoenses, nem só pelos laços de parentesco de Dom Luís António de Sousa Botelho e Mourão e Afonso Botelho, mas, sobretudo, pela imortal participação deste processo de formação paranaense, onde governou de 1767 a 1774.

Dependência Genealógica – Campo Mourão desmembrou-se em 10 de outubro de 1947 de Pitanga, que em 30 de dezembro de 1943 originou-se de Guarapuava, que emancipou-se em 17 de julho de 1852 de Castro, que se desmembrou em 24 de setembro de 1788 de Curitiba, que em 29 de março de 1693 se originou de Paranaguá, criado em 29 de julho de 1648, por Carta Régia.

Quem foi Dom Luís António de Sousa Botelho e Mourão – Nasceu em 21 de fevereiro de 1722. Botelho e Mourão recebera muitas instruções, ao seguir para o Brasil e, outras tantas lhe seriam dadas, posteriormente, dentro de seu governo, pela Corte Portuguesa, através do Marquês de Pombal, Sebastião José de Carvalho e Mello. Para cumpri-las não lhe faltaram engenho e arte: era oficial ilustrado, dedicado a estudos de engenharia, estratégia e história militar e trazia larga experiência em campos de batalha. Dom Luís faleceu em 5 de outubro de 1798 e foi sepultado na capela de Mateus, em Vila Real, Portugal.

Fonte : https://campomourao.atende.net

Entre em Contato

Preencha as informações abaixo, retornarei o mais breve possível.

Not readable? Change text. captcha txt
dia de são daniel Combonianibelli e amigos Kassusa e JAckson de Piên