O verão se aproxima e é hora de aumentar os cuidados para evitar o câncer de pele

Alertar sobre os cuidados e ações de prevenção ao câncer de pele é o objetivo da campanha “Dezembro Laranja”, que acontece nesta época do ano marcada pelas altas temperaturas do verão e de maior exposição das pessoas ao sol. No Paraná, as ações de conscientização e orientação são amparadas pela Lei estadual 18.829/2016, que teve origem em um projeto elaborado pelo deputado Anibelli Neto (MDB) na Assembleia Legislativa do Paraná.

“A cada ano a campanha ganha a adesão de mais instituições, que ajudam a população com mais acesso às informações”, disse. “No Paraná, só no ano passado, se somarmos os números de câncer de mama e de próstata, os dois juntos, são menores do que os números de câncer de pele. Por isso, é fundamental que durante todo o mês de dezembro possamos divulgar dicas de prevenção e realizar ações de conscientização”, afirmou o deputado.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) em 2019, além de conscientizar a população sobre a prevenção desde a infância, a iniciativa tem como objetivo principal alertar sobre os sinais do câncer da pele para diagnóstico e tratamento precoces, aumentando as chances de cura na grande maioria dos casos. Os números de câncer de pele no Brasil são alarmantes! De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), anualmente, são diagnosticados 180 mil casos novos da doença. Isso significa que 1 em cada 4 novos casos de câncer no Brasil, é de pele.

“Temos um problema de saúde pública e a SBD transformou esse problema numa ampla campanha de combate ao câncer da pele por meio do Dezembro Laranja, mês de conscientização sobre a doença”, explicou o doutor Sergio Palma, Presidente da SBD. Segundo ele, “reduzir as estatísticas de incidência de câncer da pele é uma meta alcançável e a Sociedade Brasileira de Dermatologia está comprometida em diminuir a ocorrência e a mortalidade”.

Segundo o dermatologista Elimar Gomes, Coordenador Nacional do Dezembro Laranja, “quase 90% dos casos existentes são de carcinomas. Esses tumores têm letalidade baixa, mas provocam cerca de 1900 óbitos a cada ano no nosso país. Menos comum, o câncer melanoma é o tipo mais agressivo e, por este motivo, causa mais de 1700 óbitos anualmente. Nós conhecemos a origem da doença e sabemos que é possível preveni-la, por este motivo a conscientização pública é uma das formas de reduzir o número de casos”, conclui o médico.

Grande expediente – Como já aconteceu em aos anteriores, o grande expediente da sessão plenária da próxima segunda-feira (02) será destinado ao lançamento da campanha Dezembro Laranja.

O espaço será destinado à uma palestra da médica dermatologista, Flávia Trevisan, que irá atualizar os dados e falar sobre a doença. O deputado Anibelli Neto apresentará também uma cartilha com dicas e informações sobre cuidados e prevenção. “O tema é importante, a Assembleia assumiu essa campanha, algumas instituições também. Mas queremos que universidades, faculdades e colégios também participem desta iniciativa. Quanto mais acesso, mais informação, mais pessoas beneficiadas. Às vezes uma simples informação ajuda a pessoa a se prevenir, se cuidar”, afirmou.

Ações – Em 2019, repete a ação ocorrida em anos anteriores, quando um mutirão é realizado em todo o país, com cerca de quatro mil médicos dermatologistas e voluntários prestarão atendimento gratuito para diagnóstico do câncer de pele. As consultas serão realizadas em cerca de 130 postos espalhados pelo Brasil no dia 7 de dezembro das 9 às 15 horas.

Para saber onde será possível fazer essa consulta, é só clicar no link: http://www.sbd.org.br/dezembroLaranja/exame-preventivo-gratuito/

Sobre o câncer da pele – Este tipo de câncer é provocado pelo crescimento anormal das células que compõem a pele. Existem diferentes tipos de câncer da pele que podem se manifestar de formas distintas, sendo os mais comuns denominados carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular – chamados de câncer não melanoma – e que apresentam altos percentuais de cura se diagnosticados e tratados precocemente. Um terceiro tipo, o melanoma, apesar de não ser o mais incidente, é o mais agressivo e potencialmente letal. Quando descoberta no início, a doença tem mais de 90% de chance de cura.

“Em todos eles, a exposição excessiva e sem proteção ao sol é o principal fator de risco que pode desencadear a doença, que pode se manifestar como uma pinta ou mancha, geralmente acastanhada ou enegrecida; como uma pápula ou nódulo avermelhado, cor da pele e perolado (brilhoso); ou como uma ferida que não cicatriza”, diz Jade Cury Martins, Coordenadora do Departamento de Oncologia Cutânea da SBD.

Por isso, a Sociedade Brasileira de Dermatologia orienta que as pessoas se examinem com regularidade, consultando um dermatologista em caso de suspeita. Também é importante que se examine familiares, pois muitas vezes os cânceres podem aparecer em regiões que não é possível reconhecer sozinho. Ao se expor ao sol, é importante que as áreas descobertas estejam protegidas, mesmo em dias frios e nublados.

Medidas fotoprotetoras – As recomendações básicas incluem a adoção de medidas fotoprotetoras, como evitar os horários de maior incidência solar (das 9h às 15h); utilizar chapéus de abas largas, óculos de sol com proteção UV e roupas que cubram boa parte do corpo; procurar locais de sombra, bem como manter uma boa hidratação corporal. A sociedade médica também orienta para o uso diário de protetor solar com fator de proteção de no mínimo 30, que deve ser reaplicado a intervalos de duas a três horas, ou após longos períodos de imersão na água.

Assembleia Legislativa do Paraná por Jaime S. Martins / Thais Faccio com assessorias
Entre em Contato

Preencha as informações abaixo, retornarei o mais breve possível.

Not readable? Change text. captcha txt